– EDC 285 ALFABETIZAÇÃO – PROGRAMA DO CURSO-

Plano de Curso
Disciplina EDC 285 – alfabetização
Curso Pedagogia
Carga Horária 68 horas
Professora Mary de Andrade Arapiraca
Ementa
Concepções de ensino e de aprendizagem da língua. A linguagem como interlocução, a psicogênese da língua escrita, a consciência fonológica e o letramento como bases para a didática da alfabetização. O planejamento pedagógico de situações de ensino e de aprendizagem voltados à compreensão do sistema de escrita de ortografia alfabética e ao domínio da linguagem escrita em contexto de uso das práticas sociais letradas.
Conteúdo
  • Concepções de língua, de linguagem e de ensino e aprendizagem da língua escrita.
  • Variação linguística, ideologia e preconceito linguístico: contribuições da sociolinguística.
  • Especificidade da alfabetização: apropriação do sistema alfabético da escrita.
  • Elementos da história da escrita e compreensão do funcionamento do sistema de escrita alfabético.
  • Psicogênese: as hipóteses de escrita dos alfabetizandos.
  • Implicações do conhecimento da psicogênese para a didática da alfabetização.
  • A escrita como sistema alfabético e a escrita como prática social e discursiva.
  • Usos e funções da escrita e práticas sociais de leitura e escrita dentro e fora da escola.
  • Conceitos de alfabetização e de letramento: especificidades e imbricações.
  • Consciência fonológica e as diferentes perspectivas a respeito da relação entre esta e a apropriação da leitura e da escrita.
  • O sentido da expressão “alfabetizar com textos”.
  • Textos privilegiados para alfabetizar.
  • Os nomes próprios como modelos estáveis de escrita e atividades que envolvem a leitura e a escrita de nomes próprios.
  • Planejamento de atividades com listas, textos que se sabe de cor, dentre outros, articulado com procedimentos apropriados ao desenvolvimento da consciência fonológica.
  • Heterogeneidade na sala de aula e procedimentos de alfabetização.
Objetivos
  • Compreender que toda ação alfabetizadora supõe concepções acerca do objeto de conhecimento – a língua escrita.
  • Compreender o processo de mudanças nas concepções de ensino e de aprendizagem da língua escrita, articulando-o a uma perspectiva histórica das idéias e práticas de alfabetização a partir das últimas décadas do século XX.
  • Compreender a importância de considerar a linguagem como interlocução e a escrita como prática sociocultural e discursiva para um movimento de ensino e aprendizagem que considera a apropriação da língua pelo aluno, em contexto de uso da linguagem nas situações de interação comunicativa e produção de sentido.
  • Considerar a escrita como um objeto simbólico, um substituto que representa algo, que nota, essencialmente a fala.
  • Compreender que para alguém tornar-se alfabetizado implica em ter descoberto o princípio alfabético que rege o sistema, se apropriando da natureza e do funcionamento desse sistema de representação.
  • Refletir sobre o fato de que a fala é coarticulada, sons consonantais e vocálicos são produzidos numa só emissão, e a sílaba constitui-se na unidade saliente dessa emissão, o que exige que o alfabetizador encontre formas pala chamar atenção sobre o aspecto que não é saliente, o fonema, de modo contextualizado e reflexivo.
  • Considerar que uso e compreensão devem andar juntos no processo de alfabetização e letramento, e a reflexão consciente, metalinguística, metafonológica é parte fundamental nesse processo.
  • Identificar procedimentos apropriados ao desenvolvimento de capacidades fonológicas de reflexão dos alfabetizandos.
  • Identificar contribuições e limites da psicogênese da língua escrita e estudo e estudo das hipóteses infantis acerca da natureza e do funcionamento da língua escrita.
  • Compreender que há atos inteligentes por trás das estranhas escritas dos alunos que ainda não sabem ler e escrever.
  • Relacionar alguns aspectos da história da escrita e o funcionamento do sistema alfabético com a apropriação deste pela criança.
  • Observar, de maneira investigativa, produções escritas de alunos, intentando encontrar nelas elementos que permitam compreender o momento de aprendizagem de cada um.
  • Diferençar os aspectos notacionais dos aspectos discursivos da escrita, compreendendo a relação entre eles e a questão da alfabetização e do letramento.
  • Compreender o sentido da expressão “alfabetização em contexto de letramento” e aprender a organizar atividades e selecionar textos privilegiados para induzir os alunos a refletirem sobre a natureza e o funcionamento do sistema de escrita.
  • Refletir sobre contribuições de atividades com o nome próprio, listas, textos que se sabe de cor, textos literários diversos e outros gêneros textuais para os alunos com diferentes níveis de domínio da leitura e da escrita.
  • Valorizar a capacidade de produção de linguagem escrita mesmo antes da capacidade de escrita convencional e perceber a importância de escutar o discurso escrito para aprender sobre suas características.
  • Tematizar questões que envolvem a heterogeneidade da sala de aula e apresentar possibilidades de trabalho pedagógico, considerando as diferenças do saber entre os alunos e suas necessidades de aprendizagem.
  • Discutir as possibilidades de intervenção do professor nas atividades diversas de leitura e escrita.
  • Planejar atividades de alfabetização em contexto de letramento, focalizadas na apropriação do sistema de escrita alfabética, para alunos dom diferentes hipóteses de escrita e diferentes domínios dos procedimentos de leitura.
  • Compreender a importância para o professor alfabetizador de preparar-se para, de forma consciente e consequente, desenvolver qualificados procedimentos de alfabetização em seu cotidiano escolar.
  • Compreender, também, a importância de compartilhar experiências e de considerara importância de reflexão sobre a própria prática.
Metodologia
  • Aulas expositivas dialogadas.
  • Leitura e discussão de textos
  • Narrativas de lembranças boas ou ruins da entrada de cada um no universo da língua escrita, como ponto de partida para discussões sobre concepções e procedimentos de alfabetização.
  • Atividades com o nome próprio, como palavra significativa e modelo estável de escrita, pontos significativos para o início da alfabetização.
  • Análise de alguns textos literários em sua dimensão estética e sua construção poética, em busca de um trabalho com a poesia que resguarde seu potencial e sentido estético.
  • Ler escutar, contar e escrever textos diversos.
  • Observações escolares.
  • Investigação de produções escritas de alunos, intentando encontrar nelas elementos que permitam compreender o momento de aprendizagem de cada um.
  • Análises comparativas de palavras ressaltando suas unidades fonológicas:
    1. Estruturas silábicas
    2. Rimas e aliterações
    3. Os fonemas, seus diferentes valores sonoros e suas representações.
  • Análises de práticas alfabetizadoras através de vídeos.
  • Elaboração de planos de leitura e de escrita de modo geral e de atividades para desenvolvimento da consciência fonológica, considerando todo o conteúdo discutido e estudado no curso.
Avaliação
  • Demonstração de leituras através de anotações, resumos e de participação qualificada nas discussões.
  • Relato de observações escolares.
  • Desenvolvimento de uma mini-pesquisa através de diagnóstico sobre níveis de consciência fonológica e de compreensão do sistema de escrita alfabética de alunos em processo de alfabetização e indicação de atividades adequadas para seus possíveis avanços conceituais.
  • Produção de um Kit de material de alfabetização.
  • Planejamento e desenvolvimento de atividades de alfabetização com textos privilegiados para alfabetizar.
  • Avaliações escritas.
Bibliografia Básica
  • ADAMS, Marilyn Jager, FOORMAN, b. LUNCBERG, i, BÉELER, T. Consciência Fonológica em crianças pequenas. Porto Alegre: Artmed, 2006, 215p.
  • FERREIRO, Emília. Reflexões sobre alfabetização. Trad. Horácio Gonzalez et al. São Paulo: Cortez, 1985, 103p.
  • Lemle, Miriam. Guia teórico do alfabetizador. São Paulo: Ática, 2000, 103p.
  • MORAIS, Artur Gomes, ALBUQUERQUE, Eliana B. Correia de, LEAL, Telma Ferraz (orgs.). Alfabetização: apropriação do sistema de escrita alfabética. Belo Horizonte: Autêntica, 2005, 168p.
  • SANTOS, Carmi Ferraz e MENDONÇA, Márcia (orgs.). Alfabetização e letramento: conceitos e relações. Belo Horizonte: Autêntica, 2005, 152p.
  • TEBEROSKY, Ana. Psicopedagogia da língua escrita. São Paulo: Trajetória cultural; Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1989.
Bibliografia Complementar
  • ALMEIDA, E. C., DUARTE, P. M. Consciência fonológica: atividades práticas. Rio de Janeiro: Revinter, 2003, 102p.
  • BAGNO, Marcos. Preconceito linguístico: o que é, como se faz. 48. Ed. São Paulo: Edições Loyola, 2007, 186p.
  • CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização e Lingüística. 10ª ed. 12ª impressão. São Paulo: Scipione, 2005.
  • CARDOSO-MARTINS, C. (org.). consciência fonológica e alfabetização. Petrópolis: Vozes, 1985, 186p.
  • COLOMER, T., CAMPS, A. Ensinar a ler, ensinar a escrever. Porto Alegre: Artmed, 2002.
  • FERREIRO, Emília. Alfabetização em processo. Trad. Horácio Gonzalez et al. São Paulo: Cortez, 1985, 144p.
  • MEIRELES, Cecília. Ou isto ou aquilo. Ilustração Thaís Linhares, 6 ed., Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002, 95p.
  • OSTETO, Luciana E. Deixando marcas: a prática do registro do cotidiano da educação infantil. Florianópolis: Cidade Futura, 2001.
  • ROJO, R. Alfabetização e letramento: perspectivas lingüísticas. Campinas: Mercado das Letras, 1998.
  • SMOLKA, Ana Luisa. A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como processo discursivo. São Paulo: Cortez, 1989. SOARES, M. Alfabetização e letramento. São Paulo: Contexto, 2004.
  • SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.
  • SOUZA, Regina Aparecida M. Linguagens na Educação Infantil – Pensamento e Linguagem. Vol. 1 e 2. Consórcio Pró-Formar-MEC. Cuiabá: Edufmt, 2007.
  • SPODEK, Bernard e SARACHO, Olivia N. Ensinando crianças de três a oito anos. Porto Alegre Artmed, 1998.
  • TONUCCI, Francesco. Com olhos de criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
  • TONUCCI, Francesco. Quando as crianças dizem: agora chega! Porto Alegre: Artmed, 2005.
  • VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1991.
  • ________.  O desenvolvimento psicológico na infância. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
  • ________. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
  • VYGOTSKII, L. S., LURIA, A. R. e LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1988.
Bibliografia virtual

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: